Cirurgia Bariátrica e Metabólica

A cirurgia bariátrica e metabólica é indicada como uma forma de tratamento para obesidade, e o pós-operatório da cirurgia bariátrica requer cuidados específicos com alimentação e suplementos.

No pré-operatório, muitas vezes é necessária uma redução de 5 a 10% do peso atual para minimizar os riscos envolvidos com a anestesia e a cirurgia. No dia da internação, como preparatório para a cirurgia de estomago, é seguido dieta líquida /pastosa.

O cuidado com a dieta no pós-cirúrgico da cirurgia bariátrica é referente às necessidades dadas pelas mudanças anatômicas e fisiológicas que cada tipo de cirurgia impõe.

Técnicas cirúrgicas mais utilizadas:

Bypass Gástrico

Bypass gástrico ou gastroplastia com derivação em “Y” de Roux, ainda é o “procedimento de redução do estômago” mais utilizado nos Estados Unidos e no Brasil. Esta técnica possui um componente principal restritivo, diminuindo consideravelmente a quantidade de alimento necessária para proporcionar saciedade, e requerendo o mesmo padrão de comportamento alimentar (mastigar bem o alimento, comer lentamente, e ingerir pequenos bolos de cada vez).

Por outro lado, pelo fato do alimento não passar pela maior parte do estômago e pelo duodeno, caindo direto no intestino delgado, o bypass gástrico traz alguns mecanismos adicionais que levam a um controle maior do apetite e a uma perda de peso mais rápida e mais intensa do que nos procedimentos puramente restritivos. O bypass gástrico proporciona um emagrecimento rápido e com saúde se aliado a uma mudança de hábitos alimentares.

Gastroplastia vertical ou Sleeve

Também conhecido como manga gástrica (em inglês, sleeve gastrectomy), o procedimento não faz o desvio dos alimentos pelo tubo digestório. Ao remover uma grande porção do estômago – entre 75% a 80% – favorece o esvaziamento gástrico rápido e a alteração dos hormônios duodenais e intestinais. Como também reduz a quantidade de grelina ou “hormônio da fome”, que eventualmente pode ser vantajoso na diminuição do consumo calórico.

Alimentação após cirurgia bariátrica

As orientações da dieta no pós-operatório da cirurgia bariátrica devem ser feita por nutricionistas, pois devido as especificidades de cada indivíduo em relação as condições de saúde, tipo de cirurgia, velocidade de perda de peso e hábitos alimentares, pode ser necessário a inclusão ou exclusão de determinados alimentos.

Primeira fase:

A alimentação após a cirurgia bariátrica tem como finalidade, além da nutrição, auxiliar o corpo a se adaptar à nova anatomia, dessa forma, é prescrita a dieta líquida restrita (ou dieta líquida clara).

Esta é uma dieta sem resíduos que favorece o esvaziamento gástrico e não é fermentada pelas bactérias intestinais, evitando a formação de gases e distensão abdominal. A dieta sem resíduo também previne problemas como lesão ou obstrução intestinal

São oferecidas refeições com, em média, 20 a 30ml que devem ser consumidas lentamente. Neste primeiro momento podem ser oferecidos líquidos claros como:

  • Chás, exceto mate e preto
  • Água de coco
  • Sucos naturais não ácidos, como melão, melancia e maçã
  • Caldo natural de carne, frango, peixe com legumes
  • Água durante todo o dia, em pequenas porções

Segunda fase:

Conforme a adaptação à dieta líquida restrita, haverá a evolução para dieta líquida, que além dos alimentos e preparos presentes na dieta líquida clara, poderá ser incluso:

  • Vitaminas ralas (batidas e coadas)
  • Leite desnatado
  • Caldo de leguminosas, como feijão e lentilha, desde que seja feito o remolho corretamente
  • Mingau ralo
  • Sopas ralas batidas e coadas
  • Iogurte natural desnatado, que pode ser batido com frutas e depois passado pela peneira
  • Calcula-se que ao final desta etapa o consumo será de aproximadamente 2 litros de alimento, divididos em 15 refeições durante o dia.
  • Alimentos que devem ser evitados:
  • Alimentos ricos em açúcar, como doces, achocolatados, bolachas, bolos e sorvete
  • Temperos prontos e molhos industrializados
  • Bebidas gaseificadas, como refrigerante e água com gás
  • Bebida alcoólica
  • Sucos industrializados que contenham açúcar
  • Chá mate / preto, café, bebidas à base de cola ou xarope de guaraná
  • Pimentas (pó, grão, secas ou in natura) e hortelã

Terceira fase:

Leguminosas, como feijão, lentilha e grão de bico – como purês batidos e coados, retirando toda a casca
Vegetais cozidos, amassados ou em purê (como purê de batata, abóbora, batata-doce, couve flor), não devem conter casca, semente ou fiapos
Sopas de vegetais, carne ou frango batidas

  • Temperos naturais
  • Frutas macias, batidas que não contenham casca, semente ou fiapos
  • Iogurte desnatado – natural ou com sabores
  • Alimentos que devem ser evitados
  • Alimentos ricos em açúcar
  • Temperos prontos e molhos industrializados
  • Bebidas gaseificadas
  • Bebida alcoólica
  • Sucos industrializados
  • Oleaginosas como nozes, castanhas, amêndoas e amendoim (in natura, cremes ou pastas)

Quarta Fase:

Esta dieta é uma forma de transição para a dieta regular. Neste momento, além dos alimentos presentes na dieta líquida e na dieta pastosa, é possível consumir:

  • Carnes, peixes e frangos – cozidos , moídos ou desfiados.
  • Legumes –cozidos, ou no vapor, que estejam com uma textura purê
  • Ovos cozidos ou mexidos
  • Frutas macias, sem casca e sem semente

Alimentos que devem ser evitados

Nesta fase mantém-se a premissa de evitar alimentos ricos em açúcares e gorduras, alimentos industrializados, temperos prontos e picantes, fast foods, refrigerante e bebida alcoólica.

Dieta regular

A dieta regular também é conhecida como dieta geral ou dieta normal. Em teoria o paciente está “liberado” para manter uma alimentação após a cirurgia bariátrica sem restrições.

Por esse motivo é tão importante que os hábitos e os comportamentos alimentares tenham sido trabalhados e acompanhados para garantir uma escolha alimentar mais equilibrada e hábitos mais saudáveis e assim auxiliar a manutenção do peso após a cirurgia bariátrica evitando carências nutricionais e possível ganho de peso.

Dicas para a alimentação pós cirurgia bariátrica.

Durante todas as fases, priorize alimentos proteicos, para prevenir perda de massa magra. Em alguns casos, é comum a utilização de suplementos proteicos.

É indicado evitar o excesso de fibras, pois retardam o esvaziamento gástrico e podem diminuir a absorção de nutrientes da dieta.

Evitar consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura para evitar Síndrome de Duppin e reganho de peso.

A melhor forma de seguir uma dieta ou um cardápio para cirurgia bariátrica é procurar um nutricionista especializados no assunto, pois as necessidades calóricas e nutricionais são tratadas de forma individualizada.

Os casos em que há o ganho de peso após a cirurgia está relacionado, muitas vezes, pela crença que a cirurgia bariátrica agirá nas causas da obesidade. É importante lembrar que ela faz parte do tratamento da obesidade, mas isoladamente não tratará as causas que levaram o indivíduo a ter obesidade.